Página em Branco

 

O tempo que vem é como a próxima página em branco,

que vou escrever.

Pode ser tudo, porque ainda é pura, é branca.

É como a bruma da madrugada, feito uma cortina

que se abrirá por minhas mãos.

Os feixes de luz, como reluzentes espadas de luz

estarão a abrir seu caminho,

através dos golpes desbravadores de seu ânimo.

Por um caminho branco haverei de andar para ouvir o

estrilar dos pedriscos, sentindo na brisa,

que tudo que está no meu colo é mais leve

do que poderia ser.

Os reflexos brancos e o som rítmico e contagiante

somente poderá advir dos brilhos dos dentes brancos

de possíveis sorrisos e risadas

que se ouvirão através dos cantos.

O pássaro que sobrevoa minha cabeça é

um branco de paz,

paz  tentada, pensada, desejada,

concedida nos atos e nas mãos estendidas.

Sejam abraços.

Sejam tempos de ventos em brisa.

Sejam eternos os amigos.

Sejam felizes os dias de sóis e luares.

Sejam amores encontrados, dentre os perdidos.

Sejam possibilidades, mas o encontrar.

Seja assim, seus bons tempos de agora até depois.

 

Mara Romaro

 

Verso da Página

28.12.2008 22:15 22:32

Para todos, amigos, irmãos, próximos e distantes,

ligados , amados, seus e meus entes.

cantus: Eros – L’aurora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s