Altar de flores

Altar de Flores

 

E se eu saísse por aí

correndo os cantos

os canteiros, as floreiras

as abelhas

Colhendo um pouco de ti?

Encontraria um beijo aqui

outro ali

Se eu saísse voando por ali

encontraria tuas pegadas

tuas arcadas

tuas palavras?

Se eu saísse colhendo

através do momento

do voo

do enjoo

do prato vazio

do tilintar de copos

encontraria fragmentos de dentina

de saliva ou fios de cabelo?

O que eu colheria de ti?

Se eu saísse de mim

Se eu me visse oculta

nesse carmim

Colheria horrores de flores

de cravos, espinhos, sépalas

carpelos nessa cesta de palha

Sorrisos que se espalha

 

Se eu andasse as rotas

com roupas amarrotadas

colheria meus estigmas

Androceus

Gineceus

Arranha-céus

Ilha de Bornéu

Eu colheria qualquer parte

Pedra de Marte

Obra de arte perdida

Até a ferida

Deste cálice vazio

Ombro sombrio

Nesse andar saído sem rumo

Desse altar esquecido em musgo

dos sacrifícios tão humanos em si

 

Mara Romaro

03/05/2017 17:33H

Anúncios

7 comentários

  1. Pingback: escreversonhar
  2. mariel · maio 3

    A dúvida é o pior inimigo de quem quer voar.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Alda M S Santos · maio 3

    Lindo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s