Chão de tinta

Chão de tinta

 

O chão me pisa sola do pé ferida

Suas tintas brotam dos vãos do tempo

As tintas imiscuídas nas friezas dos meus dedos

Contornam o sangue do meu porão

Os livros encaixotados embebidos na dor desta alusão

Piso tinta molhada

oleosa em brilho inerte e fétido

Pés escorregam desenhos que borrei

A geleia de morango que disfarça meu sangue emprestado

a todo esse tempo de dor derramada

A luz que sobrevoa meu pensar

como luzes perscrutadoras

olhares da loucura que pigmentam

nas chuvas ácidas

das poeiras secas

da cor púrpura

do abril morto

da figueira queimada

dos olhos sujos –                 que olham em mim

 

As cores do tempo

desenhos que idealizei

cortina de explicações ventadas para seu contorno de conforto

Tintas que engolem a matéria concreta

do fardo do dardo

do sentimento flechado de razões fechadas

 

As tintas que piso

são viscosidades do tempo vivido no sentimento incompreensível

do olhar puro

desse sabor imaturo

maçã verde

exalada do pinheiro

 

Eu titubeei muito no caminho do jardim

Todo mistério jasmim que bebi nas taças

como se fossem sorrisos de ouro

eram cores de veneno

desdentado de correntes do aprisionamento

 

E toda essa tinta misturada no chão

agora tenho que desembramar

esse novelo de lã

para tecer minha roupa ainda nesse agora

 

E de fora a fora

de lado a lado

a tinta apagada da casa

a tinta apegada dos olhos

dos nove fora

do quadro pintado

das projeções alheias

depositadas em luzes radiativas sobre mim

 

Não sou

Não tenho que ser

o seu tecer de teias

 

Eu sou o ser imperceptível de ver

 

Mara Romaro

30/07/2017 11:30

Música: Mother – Pink Floid

Dedicado à loucura que desenham em mim. Noves fora – nove irmãos.

Basta ter depressão, algum tratamento para que as pessoas te desacreditem.

Anúncios

3 comentários

  1. mariel · 16 dias atrás

    Há sempre um monte de coisas a se retirar dos porões e Pink Floid só reforça isso. Todo o resto, acho eu, são importâncias demasiadas que damos aos outros, suas opiniões e certezas. Bela poesia.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ernesto Capuani · 13 dias atrás

    Bello. Te recomiendo la lectura del libro LA SOMBRA DE LOS ARTISTAS. Un saludo.
    https://ernestocapuani.wordpress.com/

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s