Só ilusão pode dizer

Só ilusão pode dizer

Eu te amo

(20 Fev 2018 13:40)

O amor é essa loucura
imaterial líquida
embriaga de cor
de cores nunca vistas

Não, não podem dizer
_                  eu te amo
se não voam de camisola à noite
Se não solam bolo
um bolo cozido
de amor teso

Não podem dizer
se não sacrificam
se não se impregnam de dor
se não
voam dirigível
suspensos neste gás
luxuriante
No entanto cada
_                    eu te amo

vale, um vale imenso
entrecortado de árvores
um nascimento em afresco
uma fruta de época
um sumo vertiginoso
de uma nascente pera
Amor, é essa mordida
indolor
uma pintura incolor
nas noites molhadas de chuva
calor sem brasa
alma oxigenada
Eu posso dizer que te amo
em loucura
porque meu reino é o vento
seu sabor nunca sai
da minha nuca
Sinto seus dedos
morno café pingado
véu de seda encapuzado
no círculo raiado da íris da folha

Só pode dizer que ama
formiga que carrega
sozinha esta folha
mil vezes mais que seu peso
mil vezes mais que um beijo oco
ou um assobio
por entre fibras do taquaral
Esse amor, tecido à mão
artesã de fibras de coco
um bordado branco
em cambraia de gola
perfazendo fileiras delicadas
das estrelas cadentes
uma coleção de calores
derretidos em voláteis
álcoois dessa força de combustão

©Mara Romaro

2 comentários

  1. jllopartfolch · fevereiro 21, 2018

    Bello poema, felicidades.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s