Poema, eu te batizo de Poema de Amor

|30 Maio 2018 9:12 |Música: Home – DishWalla

É você?
Um pão doce com glacê?
Seria?
Música ecoada na mente histeria
Flor da madrugada
Escondida nas fendas das pedras
na água corrente calada nas serras
Retorcida em fumaças
É você?
Uma voz esperando um vento
em sua face de areia
a desintegrar-se nos caminhos
diminuídos em líquidos diluídos
Seria? Aconteceria?
Filme de cinema antigo projetado
em sombras de veludo de corpo de abelha
estalidos da queima úmida da fogueira
de beijos sedentos areníticos
Caminhos percorridos desesperados
por mãos de carinho de corpo fechado

É você?
Essa leitura subliminar
neste meu delírio de miragens?
Espelhos líquidos evaporando-se do chão?
Seria?
Uma manhã fria de beijo pisado
nuances das sombras do relevo
ou
o resto do luar apagado
derramado como oxidação verde bronze
na encosta da minha montanha
em dores esquecidas
orvalhadas
de um prazer de água furtada
nesses deploráveis beijos

É você?
Você que está aí, observando
com olhares ensombrados de uma
luz oculta?
Palavras sentidas nos ecos imateriais
nas florestas floridas
Flores que voam sem vento
sem ar
e me revestem nudez
me aquecem de uma ternura
para este pequeno movimento
trêmulo
Seria?
Um vibrar duvidoso da pestana
Uma minúscula fresta do seio dos olhos
que se fende
de onde sai um bando
de borboletas de brilho de água
cheias da hora perfeita da manhã

É você?

©Mara Romaro

Verso da página

Anotações mentais e anotações na caderneta Herbário, últimas folhas, e penúltimo texto escrito no caderno azul de couro, em letra de tinta tinteiro verde, na caneta tinteiro cross escovada, texto mentalizado de colheita de diversas coisas, dizeres ébrios registrados, mania besta que tenho, expressões elucubradas há dois e três dias atrás ao dormir, percepção do luar ao nascer da lua há dois dias atrás, o brilho da água do riacho no caminho hoje cedo ao vir trabalhar, a vontade que tenho a qual estou sacrificando por um ano em abster, o movimento do despertar de um dia específico, as projeções de cinema a complementar expressões usadas no poema estrela cadente, as imagens que flutuam sobre mim em imaginação ao dormir que expressam características e significados de pessoa amada. Perfume implícito nos elementos concretos. Referência a outros poemas existente nas palavras que já foram parte de títulos. Juntaram-se ideias que constituíam outro texto, que ficou na órbita do pensamento por dias.

Hora do café no trabalho.