Diadema

 

 

O que guardo no coração

isso lá é comigo

Se faço dele um abrigo

O amplo olhar

engole o frio

Pinta o pôr-do-sol antigo

Gaivotas caladas

em sobrevoo

O que guardo comigo

é de ti algum vazio

o desapercebido

o saber esquecido

O que sinto é meu dilema

impróprio e doado

Meu guardado problema

com brilhos de diadema

Frescor silvestre

Deitar anoitecer

Aconteça tudo o que for

Está costurada esta dor

no mato cresce sem permissão

amarela flor

O que guardo no coração

Tem a força de uma mão

cúmplice que semeou

o amor

 

Mara Romaro

23/05/2017 13:49

Música: Madredeus – Haja o que houver